Image Map

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Entrevistando o Autor: If Only por Opsdoof

Oi, pessoal!
Aqui é a Nynna Days trazendo mais uma entrevista. Dessa vez com a autora de If Only, Opsdoof

A entrevista foi pedida pela leitora Kathizinha e aqui está o que ela disse sobre a história:

a)      Por que gostaria de ver uma entrevista desse autor?
Porque If Only é minha Fanfic favorita e eu queria saber como foi processo de criação, como surgiu a ideia de cada personagem.

b)      Por que recomenda a leitura dessa fanfiction?
É uma fanfic que de alguma forma, nos faz ter um novo ponto de vista sobre a vida e sobre todas as coisas que a rodeiam, esse enredo é realmente uma nova forma de ver mundo. Eu realmente amo essa fanfic




Capa atual da fanfic

Após sofrer um acidente que o deixou paraplégico, Justin Bieber não conseguia encontrar mais nenhum sentido em sua vida. Para ele, aquele tinha sido o ponto de chegada.
Sua vida era definitivamente perfeita: um engenheiro bem sucedido, casado com a mulher que amava e que estava esperando um filho seu. Dono das suas próprias decisões. Mas todo o seu mundo desmorona. De um dia para o outro, Justin passa a depender das pessoas para coisas simples. O confinamento, os problemas trazidos pela paralisia e as restrições, acaba o tornando um homem triste e frustrado. A mágoa e o sentimento de culpa o consumiam.
O destino coloca em sua vida Bryce Garrison, uma enfermeira recém-formada que dedica sua vida a caridades. Bryce leva uma vida simples morando com sua irmã mais velha e, tentando se firmar em Nova York, acaba tornando-se babá da filha de Justin.
Uma necessidade faz dois caminhos diferentes se cruzarem.

                A Fanfic está na categoria de Justin Bieber e tem classificação +18
                Clique Aqui para ler.

E agora, a entrevista:



1 – Olá, ~Opsdoof. Como está? Pode dizer o seu nome, idade, onde mora e com quantos anos começou a escrever?
Olá, eu estou ótima! O meu nome é Analéia. Sei que é estranho e por isso prefiro que me chamem de Ana. Tenho 21 anos e atualmente estou morando com a minha mãe na Bahia. Comecei a escrever com 16 anos. 

2 – Como foi o seu início no mundo das fanfic? Como você conheceu e como conseguiu os números de comentários e favoritos que possui hoje?
Acho que entrei no mundo das fanfics como a maioria, através de imagines no blog. Na época do orkut, o pessoal tinha mania de divulgar através de status e eu por curiosidade entrei. Lembro-me que foi uma fanfic do Cody Simpson, e mesmo não gostando dele, eu amava ler e achei incrível a criatividade das meninas. Então fui me viciando por imagines e logo passei a ler os do Justin. 
Na verdade, acredito que consegui todos os comentários e favoritos graças as minhas outras fanfics. Eu não tenho muita paciência para sair divulgando de perfil em perfil hoje em dia, então dediquei um capítulo de todas as minhas outras fanfics que tenho um certo reconhecimento, e com a maioria das minhas leitoras são fiéis, abraçaram a ideia. Muitas também me ajudaram a divulgar por grupos no WhatsApp, para amigas e essas amigas também repassaram e foi meio que uma febre kkkk eu nem acreditei porque era um enredo totalmente diferente do que a maioria está acostumada a ler e confesso que fiquei com medo. Infelizmente muitas ainda preferem o velho clichê. 

3 – De onde surgiu a ideia para If Only?
A ideia para if only veio de uma outra ideia e de uma ideia de uma leitora. Sei que isso ficou confuso kkkkk Vou tentar explicar melhor: 
Acho que como a maioria das leitoras de If Only, eu li “como eu era antes de você”, e na mesma época, assisti um filme de terror onde a protagonista era paraplégica. Eu sofro de surtos de inspiração e na hora que comecei a assistir ao filme, me lembrei do livro que li. O enredo era completamente diferente, mas isso não me impediu de juntá-los. E acabei escrevendo uma fanfic que o Justin sofre um acidente e fica paraplégico. Só que o tema era sobrenatural. Tive pouco reconhecimento e como prefiro escrever sobre coisas mais realistas, acabei deletando a fanfic. 
Então quase um ano depois, uma das minhas leitoras foi até o meu ask e falou que tinha assistido ao filme "intocáveis", que conta a história de um homem tetraplégico e que na hora tinha lembrado da fanfic que eu tinha feito do Justin paraplégico e desejou ler algo escrito por mim desse gênero, só que um romance ao invés de terror e sadismo. E como eu estava na vibe de “como eu era antes de você”, abracei na hora a ideia. 

4 – Qual foi a maior dificuldade com o enredo e o de fato estava decidido desde o início?
Com certeza a minha maior dificuldade foi com a escolha da personalidade dos personagens. Apesar de ser uma ficção, eu queria muito retratar a realidade e a personalidade de cada personagem era um fator importante. 
Acho que sou a única escritora que não monta um enredo antes de escrever o primeiro parágrafo hahahaha Sou bastante desorganizada e sou do tipo "deixa rolar". Quando escrevi a primeira palavra do prólogo, abri a minha mente e fui escrevendo o que vinha a cabeça. 

5 – No processo de planejar e escrever a fic muita coisa mudou?
A única coisa que eu já tinha planejado, era a ocupação e personalidade da protagonista — Bryce —, que seria uma voluntária de saúde, de bom coração, sem ambições e meio hippe. A profissão do Justin e como ele ficou paraplégico, decidi na hora que estava escrevendo. Tinha pensado em algo como um acidente de carro, ele ter levado um tiro, caído do cavalo — pensei em fazê-lo ser um Jockey profissional kkkk —, ou até mesmo já ter nascido paraplégico porque não queria fazer igual a “como eu era antes de você”. Mas com eu precisava mostrar como fica a cabeça de uma pessoa que tem a vida mudada da noite para o dia, descartei essa possibilidade. Também mudei a condição social dele. A princípio pensei em fazê-lo ser pobre, mas era muito drama para um drama só kkkk e também não tinha como encaixar a Bryce na vida dele porque já tinha decidido que ela seria pobre e se tornaria de certa forma a cuidadora dele. Acho que uma pessoa pobre não tem condições de pagar uma cuidadora, não é mesmo? Rsrs. 
Mas como eu falei, sou muito desorganizada e não tinha um enredo escrito. Acho que não posso dizer que mudei coisas no enredo. Eu só mudei de ideia na hora que estava escrevendo kkkk

6 – Você pretende fazer uma continuação ou algo especial quando alcançar um determinado número de comentários/capítulos?
Uma coisa que eu deixei claro para mim mesma era que a fanfic não passaria de 16 capítulos e que muito menos teria uma segunda temporada. Tenho sérios problemas com sequências e isso vale até mesmo para livros que leio. Acho que prolongar uma estória que pode ser concluída com trinta capítulos não é necessário. 
E também tenho outras fanfics que dei sequência e posso dizer o quanto é difícil! Se é para fazer uma segunda temporada, ideias novas são essenciais. E eu não sei se consigo ter mais ideias que já tive para If Only kkkk 
Farei de tudo para atingir o objetivo das leitoras com pelo menos uns trinta capítulo, mas infelizmente tenho que admitir que planejo deixar um gostinho de quero mais no epílogo hahahaha 

7 – Em quem você se inspira para escrever? Pode ser autora de fanfic ou de livros.
Com certeza os meus “musos”— Acho que isso não existe kkkk —inspiradores são Nicholas Sparks, Stephen King e o Harlan Coben ? tento ao máximo escrever uma história com tantos detalhes e encantamento como eles. Os seus livros são completamente magníficos! 
Quero com certeza ser como eles quando crescer hahahaha 

8 – Qual foi a história em que você mais teve dificuldade?         
Com certeza foi The Disorder, A Place For Us e If Only. 
Ambas retratam a realidade. Em The Disorder, Justin sofre de esquizofrenia e eu tive que fazer pesquisas atrás de pesquisas para conseguir mostrar um terço do que é a doença. As pessoas acham que ser esquizofrênico é só não bater bem das ideias e posso com certeza dizer que não é só isso. O que me ajudou um pouco foi o fato de ter dois primos gêmeos esquizofrênicos e um vizinho que tinha esquizofrenia paranoide. 
Em A Place For Us, Justin tem um filho com Aids e confesso que não sabia nada sobre a doença quando comecei a escrever. Eu achava que era só uma doença que matava a pessoa aos poucos. Mas ai foi pesquisando, vendo documentários e vi que o buraco era muito mais embaixo. Sem contar que era triste escrever o sofrimento por causa da doença e principalmente a rejeição da sociedade :/ 
If Only foi o mesmo nível de dificuldade. Claro que em “Como eu era antes de você” fala um pouco sobre os problemas que a paralisia trás, mas acho que a autora não focou muito nisso e muito menos nos sentimentos do protagonista. Eu já sabia que ser paraplégico não era só não poder andar, mas precisei aprimorar mais os meus conhecimentos para fazer as leitoras sofrerem junto com o Justin hahahaha e principalmente me esforcei ao máximo para fazê-las entrarem na cabeça dele e de certa forma entendê-lo. Afinal, é muito fácil dizer que é fácil aceitar as condições sendo rico, casado com uma mulher bonita e tendo tudo o que precisa. 
E por último vem a parte do detalhes da estória. Escolhi que ela acontecesse em Nova York e não queria escrever lugares clichês que passam em filmes e livros. E como eu sou muito detalhista, todos os lugares têm que ser reais. E preciso pesquisar a localização, nomes de ruas, bairros, avenidas e etc. Olhando por esse lado, If Only com certeza me dá mais trabalho kkkkk 

9 – E qual é a história que você mais gostou de escrever? Por que? 
Estou amando escrever If Only, mas The Disorder será sempre a obra que eu mais amei escrever. 
Ela foi o meu primeiro desafio de fuga do clichê e a experiência de escrevê-la foi incrível! Ela não fazia só quem a lesse desejar se tornar uma pessoa melhor e ter alguém com Justin para amar e proteger, fez a mim também. É uma estória muito meiga e simples. Justin nela com certeza é o melhor Justin que já inventei. Ele é puro, inocente e maravilhosamente apaixonante. 

10 – Qual é a maior diferença e a maior semelhança entre a sua primeira história e a mais atual?
A maior diferença com certeza é a ortografia! Não que eu escrevesse errado por não saber, eu só era desleixada mesmo. A maior semelhança é que ainda escrevo com a mesma paixão rsrsrs 

11 – Qual é a sua maior qualidade como autora? E o seu maior defeito?
Me importar com a opinião de todos os meus leitores e ter compromisso com os dias para atualizar. Se eu falo que vou atualizar numa data, faço o impossível para cumprir com a minha palavra. 
Acredito que o meu maior defeito é a mania que tenho para não responder os comentários. Não que eu não leia ou não me importe, é que entro mais no spirit para atualizar e o meu tempo diariamente é bastante curto. Geralmente leio os comentários em curtos períodos e agradeço nas notas iniciais do próximo capítulo, mas acho que isso não conta muito para eles e já estou providenciando uma mudança nisso, afinal são os comentários que me motivam a continuar e preciso mostrar que me importo. 

12 – Você já pensou em escrever alguma história que não envolvesse o Justin Bieber? E por que você o escolheu para ser o principal de suas histórias?
Eu vivo pensando nisso! Até já me arrisquei a escrever uma história de outra categoria, mas me tornei uma dependente do Justin rsrs e também tenho medo dos leitores que eu já tenho, não aceitarem, mesmo sabendo que o que vale é o enredo. Mas infelizmente se eles estão lendo uma fanfic, que seja do Justin. E eu super os entendo. Muitos acham que eu sou uma belieber fanática só por escrever fanfics da categoria dele, mas tenho algo a declarar, infelizmente. Eu não sou uma belieber. Amo as músicas dele, admiro sua história de vida, mas não sou do tipo que vive nas redes sociais e em sites, a procura de notícias dele. E o que sei sobre ele é o básico pelos grupos no WhatsApp. 
O escolhi como principal das minhas histórias porque como já falei, o admiro e acredito que sua categoria é a mais aceita pelo menos no social spirit. E eu não vejo problema nisso. Muitos leitores até já me confessaram que não são fãs dele e que só leem por causa da história, então para mim não há problema mesmo. 
Só estou fazendo uma coisa que gosto, voltada para os fãs dele. 

13 – Seus parentes sabem que você escreve? Como lidam com isso?
Todos sabem! Não me apoiam tanto como a minha mãe, acham que estou perdendo tempo. Mas ter o apoio da minha mãe é o que mais importa. Ela inclusive até já leu uma das minhas histórias e meu deu opiniões. 

14 – Já pensou em seguir a profissão de escritora ou isso é apenas um hobbie?
A princípio, escrever era apenas um hobbie, uma coisa que eu fazia quando não tinha nada para fazer ou me distrair, mas hoje em dia o meu sonho é publicar um livro. Estou correndo atrás disso e quem sabe meus leitores não comprem um livro meu um dia? Rsrsrs. 

15 – Além de If Only, qual foi a história que mais foi bem aceita pelos seus leitores?
"Meu irmão mais novo" hahahaha Ela está no topo de maior número de favoritos e comentários. Acho que é por ser um clichê que de alguma forma foge do clichê kkkk 

16 – Como é a sua relação com seus leitores?
Acho que é a melhor na medida do possível. Como eu falei, estou sempre tentando agradar a todos e eles me retribuem com muito carinho, respeito e consideração. E sempre abro um espaço para a opinião deles porque apesar da história ser minha, acho muito importante ter o apoio de todos em qualquer decisão que eu esteja pronta a tomar. 

17 – Como são construídos os seus personagens? A partir de alguém ou você os cria do zero?
Em todos os meus personagens eu coloco um pouco de mim. O que eu tenho mania é de por situações que já aconteceram comigo ou com os meus amigos. Às vezes a minha amiga fala "Ana, me aconteceu uma coisa bem louca! Pode usá-la em meu irmão mais novo" kkkkkkk e acho que é isso que torna a história tão real. Mas há outras personagens que eu crio do zero, principalmente suas personalidades. Acho que é mais algumas situações que são construídas a partir de alguma ocasião. 

18 – Tem ideia para alguma história futura? Pode nos contar um pouco?
A minha cabeça não para de funcionar. Eu posso estar fazendo coisas que não tem nada a ver com escrever que tenho uma ideia para um novo enredo e por isso estou sempre postando uma história nova. A mais recente que ainda estou construindo os personagens, se chama o jardim de Skye. É completamente diferente de tudo o que escrevi e confesso que estou com um pouquinho de medo dela não ser bem aceita. Para começar, ela se passará em 1943 e vai retratar o holocausto. Não sei bem se os meus leitores vão gostar muito. Mas vai ter drama, amor, guerra e intrigas e posso dizer que será uma história muito triste. Com personagens maduros e personalidades marcantes. Pretendo postá-la quando concluir If Only. 

19 – E, por último, como você lida com críticas, sendo positivas ou negativas, e qual conselho você daria para as novas autoras sobre isso?
Eu amo críticas! Mas não vou ser hipócrita e dizer que há algumas que não magoam, porque magoam sim. Mas tem que transformar críticas negativas em positivas e se desenvolver melhor. Todos os leitores que criticam — pelo menos nas minhas fics —, é porque gostam de verdade da história e só querem o meu melhor. Então não vejo a necessidade de dar uma resposta malcriada ou ignorar, pois no futuro ela pode ser útil. 
O conselho que posso dar a autoras que estão começando agora é nunca se deixar abater e muito menos desistir. Tentar tirar o melhor de qualquer crítica, até mesmo aquela bem desagradável e ofensiva e tomar muito cuidado com a manipulação. Infelizmente alguns leitores criticam apenas porque a história não está seguindo o rumo que eles querem e por isso depreciam o autor. Mas as coisas não são assim. A partir do momento que você criou o enredo e sabe exatamente como quer prossegui-lo, não o mude apenas porque um leitor comentou não gostar da personalidade de um personagem, do nome dele, ou da sua ideia. Pode um não gostar, mas outros cem gostem de como as coisas estão indo. E como já falei: nunca, nunca responda a esse tipo de critica com malcriação. Isso só pode criar uma situação desagradável e perder um leitor que no futuro poderia ver que a sua ideia era sim legal. A venda e pode ter certeza de que vai conseguir abrir os olhos dos leitores para o novo. 

Muito obrigada por participar.
Eu que agradeço pelo convite! Foi um prazer dar essa entrevista <3 
Beijos! 



Um comentário :

  1. Eu sou uma grande fã dessa fic!! Ela é simplesmente maravilhosa, contém tantos detalhes que o enredo parece mesmo real eu consigo imaginar cada cena descrita, ela é incrivelmente única. Quero mais Jryce o melhor casal!♥♥♥♥

    ResponderExcluir